“Wavelicious” por Carlos Wavel (08/abr/2011)

Ei, chegou sexta-feira, e com ela, o nosso tão esperado fim de semana começa! Dessa vez, vamos sair ao invés de fazer alguma coisa em casa, combinado?

Está em Curitiba? Vamos jantar num asiático? Chega de japa, hoje vamos de comida tailandesa, malaia e outras regiões orientais. Vamos ao Lagundri. O slogan dele é “Um lugar que não existe”, mas você pode chegar lá sim, na Rua Saldanha Marinho, 1061.

Buda

Este restaurante tem um significado especial pra mim, por isso decidi começar por ele. O ambiente é amplo e antigamente cada área tinha o nome de um país da Ásia. A área externa tem um grande jardim com mesas ao ar livre, e apesar de ser uma região com alguns edifícios, se tem a impressão de estar fora da cidade. A área mais aconchegante é o piso superior, onde as mesas são baixas e, ao invés de cadeiras, senta-se em almofadões e almofadas. Dica: o piso de cima é o mais romântico do lugar. 😉 O cardápio é amplo e possui pratos da Tailândia, Malásia, Vietnã e por aí vai. Deve-se tomar cuidado somente com o nível de pimenta, para quem não é acostumado ou tem algum problema com ela. O nível pode variar de 0 a 6, mas alguns pratos já partem do nível 2. É um nível encarável, mas pode dar um suador ou um calorão repentino, e os garçons sempre trazem uns pedaços de banana para aliviar a ardência na boca. Isso mesmo, não adianta água nem bebida, não. Come banana. Dicas de pratos? Vamos lá! Nasi Goreng – noodles de arroz na wok, com legumes e castanhas de caju. Para completar, pode escolher entre o vegetariano, frango, mignon, carne de porco ou camarões. Preço legal, simples de comer e já dá um gostinho de ásia para conhecer. Recomendo também o Green Curry, o Red Curry e o Pad Thai.

O restaurante possui duas unidades, uma em Curitiba e outra em Campinas, e pelo site informa que em breve deve abrir outra em São Paulo. Os pratos variam de uns R$25,00 pra cima, mas sempre se gasta bem por lá.

Está em São Paulo? Então conversamos sobre jantar outro dia, mas tenho uma dica muito legal para beber e dançar. Resolvi fazer uma experiência no Lab Club (olha o trocadilho!) e aprovei os drinks e a música! Além dos tradicionais que vão desde cerveja e caipirinhas até alguns mais elaborados, eles fazem versões dos drinks com cozinha molecular. Ao invés de você tomar uma caipirinha, você pode comê-la como se fosse um espaguetinho transparente. E a margarita vem em forma de caveira! E tem vodka com energético, B52’s, Sex-on-the-Beach, além de alguns conquetéis exclusivos. O Mojito é uma explosão de sabor! Tem que provar pra me entender. Na parte de cima há uma pista com som mais lounge, pra sentar, beber e conversar. O fumódromo fica nos fundos, e a pista pra dançar fica no andar debaixo. E olha, dá pra dançar muito! O dia que fomos, pagava-se R$70,00/Homem e R$50,00/Mulher, consumíveis. Com nome na lista, mulher pagaria R$20,00 e homem, R$40,00, também consumíveis.

margaritapreparacao
sexontehbeachvodkacomenerg ®tico

Boa sexta! Bom fim de semana! Se for dirigir, não beba. Se for beber, me chame!

Carlos Wavel, chef no Le Gordon Bleu

Anúncios